LiveZilla Live Help
Secretaria On-line

9 filmes com lições para quem trabalha no mercado financeiro

Ago 08 2013
9 filmes com lições para quem trabalha no mercado financeiro

Lições de carreira da 7ª arte

Fortaleza – O cinema pode ser uma importante ferramenta para estimular a reflexão sobre situações do dia a dia profissional. E para quem é do mercado financeiro não é diferente já que Hollywood adora Wall Street.

Seja por trazer à luz questões históricas, facilitando o entendimento de episódios marcantes, como a crise da bolha imobiliária em 2008 nos Estados Unidos, seja retratando a ilusão do dinheiro fácil (e o seu final nem tão feliz assim), os filmes que você confere a seguir são imperdíveis para quem já trabalha ou ainda pretende seguir carreira no mercado financeiro. 

As sugestões são de Guilherme Benchimol, presidente da XP Investimentos e do professor José Paulo Carelli, dos departamentos de direção financeira e economia do ISE Business School. Veja 9 filmes que trazem lições importantes para profissionais do mercado financeiro:


1. A Fraude

O filme mostra como a ganância e excessos de um operador (Ewan MGregor) podem arruinar uma das instituições financeiras mais bem sucedidas e tradicionais da Inglaterra.
“O operador, sagaz, ficava no pregão da bolsa e começa a maquiar operações. Começa a tomar riscos. Mas um operador não é um tomador de risco é um executor de ordens”, diz Guilherme Benchimol.
Segundo ele, o filme mostra o lado negro da bolsa de valores. “É um filme assustador, mostra o lado inconsequente da vida de operador”. Para ele, a lição principal que o filme resgata é que a verdade aparece e que não existem atalhos. “O sucesso é conquistado subindo a escada e não pegando o elevador”, diz.

A Fraude
Ano: 1998
Diretor: James Dearden
Duração: 101 min


2- Wall Street - Poder e Cobiça

Bud Fox (Charlie Sheen) é um ambicioso corretor do mercado de ações que torna-se discípulo de Gordon Gekko, um bilionário nada ético (Michael Douglas), após passar informações privilegiadas a respeito de uma companhia aérea de capital aberto.

“O personagem de Michael Douglas é um superespeculador que começa a manipular o mercado de ações com informações mentirosas”. 
Na opinião de Benchimol a lição do filme é que a falta de mecanismos de controle por parte da instituição financeira pode resultar em fraudes. “Se não tiver controle, é fácil fraudar”, diz.

Wall Street - Poder e Cobiça
Ano: 1987
Diretor: Oliver Stone
Duração 122 min


 3. Wall Street – o dinheiro nunca dorme

Continuação de Wall Street – poder e cobiça, o filme traz a volta de Gordon Gekko (Michael Douglas), que sai da prisão, mas não pode mais operar no mercado financeiro. “Ele começa a usar o namorado da filha, que é do mercado financeiro, como laranja”, diz Benchimol.

Segundo o presidente da XP Investimentos, a lição principal é que não existe dinheiro fácil. “Esses filmes mostram os canalhas do mercado financeiro onde existe essa ilusão do dinheiro fácil, mas não existe e quem busca atalho se dá mal”, explica.


Wall Street – O dinheiro nunca dorme
Ano: 2010
Diretor: Oliver Stone
Duração:133 min


 4. Margin Call – O Dia Antes do Fim

O filme envolve funcionários de uma empresa de investimento e se passa na fase inicial da crise financeira de 2008. Mais complicada de entender para quem não é da área financeira, a trama se passa em um período de 24 horas e a discussão ética é o foco e lição central que ficam para os espectadores.
“Bom filme sobre a crise de 2008 e o processo decisório que levou à falência muitas instituições financeiras”, diz o professor do ISE Business School, José Paulo Carelli.

Margin Call – O Dia Antes do Fim
Ano: 2011
Diretor: J. C. Chandor
Duração:107 min


5. Grande Demais para Quebrar

Também sobre a crise de 2008, o filme mistura documentário e ficção e é uma boa oportunidade para acompanhar o passo a passo da crise sob a perspectiva dos poderosos do governo dos Estados Unidos.

“Chama a atenção para o fato de que sempre há pessoas, com suas respectivas formações, por trás das mais importantes e impactantes decisões no mundo financeiro e empresarial”, diz Carelli.

Grande Demais para Quebrar
Ano: 2011
Diretor: Curtis Hanson

Duração: 98 min


6. Trabalho Interno

Vencedor do Oscar de melhor documentário em 2011, o filme retrata o lado negro de Wall Street e revela informações bastante incômodas a respeito da crise de 2008. Dividido em cinco partes, o documentário mostra que mudanças na política e as práticas bancárias resultaram em uma das piores crises já enfrentadas. “Bom filme para entender o background da crise de 2008”, diz Carelli.

Trabalho Interno
Ano: 2010
Diretor: Charles H. Ferguson
Duração: 108 min


7. Enron - Os mais Espertos da Sala

A falência de uma das maiores empresas dos Estados Unidos e que atuou no mercado por 16 anos, a Enron, é o tema central do filme.
“Muito bom para entender que o processo de tomada de decisão dos executivos não é nunca puramente técnico ou racional; e quando a virtude não é exercida nos pequenos detalhes, acaba-se cometendo erros em temas de grande relevância”, diz Carelli.

Enron – Os mais Espertos da Sala
Ano: 2005
Diretor: Alex Gibney
Duração: 109 min


8. A Corporação

Origem das corporações, o modo de agir visando apenas maximizar o lucro dos acionistas, crescimento e obstáculos enfrentados por elas são o foco deste documentário bastante didático. “Ainda que tendencioso, o filme é importante para uma análise do papel das empresas na sociedade”, diz Carelli.

A Corporação
Ano: 2003
Diretores: Jennifer Abbott, Mark Achbar
Duração:145 min


9. Selvagens em Wall Street

O filme conta a história de F. Ross Johnson, que de office boy se tornou presidente de uma grande empresa em Nova York. Com um projeto que coloca o futuro da empresa em jogo, ele tenta garantir recursos para comprá-la.

“Imperdível para conhecer um dos processos de takeover mais marcantes da história e entender que as decisões de uma empresa de private-equity vão muito além de um bom ‘valuation’”, diz Carelli.

Selvagens em Wall Street
Ano:1993
Diretor: Glenn Jordan
Duração: 107 minutos